(Opinião) Caso os "concursados exonerados" tomem posse de seus cargos, a Prefeitura de Ipu vai ter dificuldades em contratar temporários do processo seletivo simplificado


O início do segundo mandato do Prefeito reeleito Sérgio Rufino neste ano de 2017 estava quase perfeito. Com maioria na Câmara, reelegeu seu irmão Zeca Rufino ao terceiro mandato consecutivo na Presidência daquela importante casa. Zeca que inclusive contou com os polêmicos quatro votos de vereadores da bancada de oposição.

O grupo de oposição com bastante problemas internos, dentre estes elenca-se: crise de identidade e liderança. Tais problemas impedem que o grupo reorganize-se com vistas a um provável fortalecimento político. Os ora considerados por alguns como líderes continuam fora dos holofotes.

Assim sendo, Sérgio começou o seu segundo mandato bem na fita e com uma oposição fragilizada e sem poder de ataque. Todavia, eis que surge a questão dos "concursados exonerados", estes contabilizados em 371. Tal fato tira a tranquilidade do gestor municipal tendo em vista que poderá comprometer toda a sua estrutura administrativa, caso os mesmos venham a tomar posse em seus respectivos cargos por intermédio de sentença judicial favorável.

Até o presente momento quem está a trabalhar na Prefeitura é somente os funcionários estatutários. Alguns poucos estão a desempenhar a função de secretario nesse mês de janeiro, todavia ainda falta nomear outros cargos de primeiro e segundo escalão. Desta feita algumas secretarias estratégicas a exemplo da Educação, Ação Social e Saúde ainda não tiveram as suas coordenações definidas o que dificulta, de certo modo, a eficiência do trabalho público desempenhados pelas mesmas.

O que se observa é que a gestão municipal vai protelar o máximo possível a nomeação do seus quadros de primeiro e segundo escalão. De acordo com as nossas fontes, a Prefeitura está e pretende cumprir as seguintes etapas:

Mês de Janeiro
  • Realizar Processo Seletivo Simplificado para formação de Banco de Recursos Humanos;
  • Recadastramento dos Servidores Estatutários.

Mês de Fevereiro
  • Nomeação de alguns outros cargos de primeiro escalão para composição de secretariado.

Mês de Março
  • Nomeação dos cargos de segundo escalão;
  • Contratação de Temporários do Banco de Recursos Humanos advindos do processo simplificado.


Essa é provável ordem cronológica que a gestão pretende cumprir. É evidente que pode haver alterações nas etapas do mês de fevereiro e março. Se os concursados exonerados vierem a assumir nas próximas semanas, os gastos com servidores ultrapassará o limite de 54% da Lei de Responsabilidade Fiscal. Isso muda todo o planejamento da gestão e consequentemente prejudica as nomeações de primeiro e segundo escalão, como também impede a contratação de temporários do processo simplificado. 

 (Foto: ©Rárisson Ramon/Blog Expresso Ipu)


Compartilhar

Sobre Rárisson Ramon

Rárisson Ramon, de Ipu - CE de nascimento e criação, é acadêmico de direito, faz participações em rádio e é blogueiro.