(Opinião) Onda de violência toma conta de Ipu: mídia de situação começa a criticar a gestão liberdade

Foto: arquivo via whatsapp

Os últimos acontecimentos policiais ocorridos em Ipu suscitaram uma série de opiniões por parte dos ipuenses. Muitas vítimas utilizaram as redes sociais para descrever a ocorrência dos delitos sofridos, enquanto outros descreviam um caso ocorrido com familiar, parente ou amigo.

Os debates sobre a responsabilidade da gestão municipal em realizar paliativos no sentido de resguardar a segurança dos ipuenses ganharam força na mídia escrita e falada.

Sabe-se que compete ao ente estatal gerir as políticas públicas voltadas a área de segurança. Todavia, a gestão municipal não pode ser omissa quanto as ações possíveis de serem implementadas por sua parte.

Soluções para resolver ou minimizar o problema podem ser apontadas aos montantes. Contudo, por em prática é o grande problema. Os gestores alegam não possuir dotação orçamentária suficiente para atendar as ações voltadas a segurança pública.

A cidade carece de uma delegacia civil com delegado titular que responda exclusivamente pelo município, principalmente para atender as ocorrências. Solicitar isso ao Governador não requer maiores custos, tendo em vista ser uma obrigação!

É necessário que a gestão tome a iniciativa e veja com a assessoria contábil os meios de viabilizar verbas a serem investidas em segurança pública. A gestão é responsável em zelar pela segurança dos ipuenses. A própria mídia que apoia o prefeito está a cobrar do gestor mais atenção em relação aos casos de violência acontecidos em Ipu, a exemplo de furtos, assaltos e assassinato.

Ipu pede e deseja paz!
Compartilhar

Sobre Rárisson Ramon

Rárisson Ramon, de Ipu - CE de nascimento e criação, é acadêmico de direito, faz participações em rádio e é blogueiro.