(Opinião) O Prefeito reeleito Sérgio Rufino terá a oportunidade de tornar-se o melhor gestor da política ipuense



Com a aprovação da emenda constitucional nº 16, de 04 de junho de 1997, a reeleição foi autorizada. A emenda foi instituída no governo de FHC. Após essa possibilidade, Ipu não havia experimentado reeleger nenhum prefeito. Foram 4 tentativas que não lograram em êxito. A façanha de obtenção da reeleição foi mérito do atual gestor Sérgio Rufino (PC do B).

Sérgio terá mais quatro anos pela frente para implementar ações que promovam um verdadeiro desenvolvimento progressista na Terra de Iracema. Não poderá mais culpar ex-prefeitos tendo em vista que teve em seu primeiro mandato a oportunidade de equilibrar as tão propaladas inadimplências que impediam o município de obter recursos federais e estaduais.

Rufino terá que adotar políticas públicas e maiores investimentos nas pastas de turismo, cultura, meio ambiente e desenvolvimento econômico e tecnológico. No primeiro mandato, o prefeito não contemplou tais áreas de forma significativa. A cidade não possui projetos que a impulsione em termos macroeconômico e microeconômico.

Esses quatro anos vindouros espera-se o melhor a cidade de Ipu. É preciso que o gestor tenha a sensibilidade de buscar parcerias fortes com empresários de forma a convencê-los a investir em Ipu, e assim, gerar emprego e renda aos munícipes. Uma gestão equilibrada e que paga “em dia” facilmente conseguirá atrair investidores.

É o momento de reformar o Mercado Público, Matadouro e revitalizar o centro ipuense. Acredita-se que muitas das emendas parlamentares conquistadas ainda no primeiro mandato de Sérgio possam ser liberadas durante os próximos quatro anos. Sérgio Rufino terá todas as condições de tornar-se o melhor gestor desta urbe, principalmente porque herdará um governo dele próprio.



Compartilhar

Sobre Rárisson Ramon

Rárisson Ramon, de Ipu - CE de nascimento e criação, é acadêmico de direito, faz participações em rádio e é blogueiro.