Coluna Professor Cláudio César : "O Medalhão"


Cláudio César Magalhães Martins*

Medalhão, segundo o Dicionário Silveira Bueno, é descrito como "figurão; homem importante;" ou, em sentido pejorativo, como "indivíduo sem valor guindado a altas posições pelo dinheiro, amizade ou outras influências, jeitosamente conseguidas."

Em seu excelente conto "Teoria do Medalhão", Machado de Assis traça, com fina ironia, o perfil do Medalhão, que pode ser compreendido como qualquer das duas acepções acima.

O conto se inicia com o pai de um jovem que está completando 21 anos dando-lhe conselhos para que possa destacar-se no futuro.

O primeiro deles é não ter ideias próprias ou limitá-las a coisas fúteis, como expender opiniões acerca do corte de um colete, das dimensões de um chapéu ou do ranger ou calar de botas novas.

Um segundo conselho é frequentar lugares onde os demais frequentadores partilham das mesmas opiniões. O bilhar é citado como sendo um desses lugares, pois, segundo Machado, "três quartas partes dos habituados do taco partilham as opiniões do mesmo taco."

Visitar livrarias é outra estratégia bastante útil ao candidato a medalhão. Tal visita tem por objetivo "falar do boato do dia, da anedota da semana, de um contrabando, de uma calúnia..." e assim por diante. Lá, também, a grande maioria dos frequentadores repetirão as mesmas opiniões e essa monotonia é bastante saudável.

Também é importante para o futuro medalhão requestar a publicidade, "uma dona loureira e senhoril". Como exemplo, Machado diz: "Longe de inventar um Tratado Científico da Criação de Carneiros, compra um carneiro e dá-o aos amigos sob a forma de um jantar, cuja notícia não pode ser indiferente aos seus concidadãos." O efeito de tal gesto é a felicitação que irá receber de comissões ou deputações, que o considerarão um agraciado, um benemérito com singulares merecimentos.

Outrossim, o verdadeiro medalhão não deve perder a oportunidade de falar em público, empregando frases feitas, locuções convencionais, fórmulas consagradas pelos anos, incrustadas na memória individual e pública. Frases como a "alavanca do progresso" e o "suor do trabalho" vencem as "fauces hiantes" da miséria caem bem em qualquer discurso.

Outro conselho do pai é que, nos ambientes da política, o filho dê preferência à metafísica, tema que apaixona os partidos e o público. O motivo é que, nesse ramo do conhecimento, tudo está achado, formulado, rotulado, encaixotado. Nunca, contudo, o orador deve ultrapassar os limites de uma invejável vulgaridade.

Por fim, o último conselho dado é que o filho evite a ironia, esse movimento do canto da boca, cheio de mistérios, inventado por algum grego da decadência e trasmitido a Swift e Voltaire, que é uma feição própria dos céticos e desabusados. Ao invés, deve preferir a chalaça, a nossa boa chalaça amiga, gorducha, redonda, franca, sem biocos nem véus e que faz arrebentar o riso dos presentes.

Eis aí o perfil do medalhão que, embora tenha sido descrito com tintas do século XIX, ainda pode ser encontrado com frequência nos dias atuais. "Mutatis mutandis", se lançarmos um olhar atento sobre os figurões que povoam nossa sociedade, facilmente identificaremos tipos da espécie, sem valor intrínseco, mas fartamente louvados, homenageados e bajulados.

_____________________________________
*Professor Cláudio César é graduado em Ciências Econômicas pela UFC (1970-74);

- Mestre em Administração Contábil e Financeira pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas - FGV/EAESP - (1984-87);

- Técnico em Desenvolvimento Econômico do BNB (TDE), no período 1977-1995;

- Professor Adjunto da UECE, no período 1994-2014;

- Pró-Reitor de Administração da UECE (2007-2008);

- Atualmente, é vice-presidente da FUNDAÇÃO DE CULTURA E APOIO AO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (FUNCEPE), em Fortaleza (CE). Escreve semanalmente ao Blog Expresso Ipu sendo colunista colaborador.
 
**A reprodução do artigo acima transcrito é somente autorizada mediante citação da parte autoral!
Compartilhar

Sobre Rárisson Ramon

Rárisson Ramon, de Ipu - CE de nascimento e criação, é acadêmico de direito, faz participações em rádio e é blogueiro.